Plástica das Mamas, Mamoplastia, Mastopexia, Prótese de Mama

A cirurgia das mamas é objeto de grande procura pelas mulheres. Há basicamente cirurgias para diminuição, aumento e para levantamento das mamas. Cada caso tem sua indicação precisa e diversas são as técnicas disponíveis.

A redução das mamas (mamoplastia redutora) inclui a ressecção de parte da glândula mamária, além do excesso de pele. A maioria das operações executadas para este fim tem, como resultante, uma cicatriz ao redor da aréola mais uma vertical e outra horizontal de modo a formar um "T" invertido ou uma âncora. O tamanho das cicatrizes do "T" será maior quanto maior for a mama a ser reduzida e maior a quantidade de pele a ser retirada.

Em algumas pacientes, é possível minimizar o tamanho das cicatrizes, mas são casos de exceção que exigem pouquíssima ressecção de pele.

Mulheres que tenham mamas assimétricas podem se beneficiar da mamoplastia redutora. Não esquecendo que a completa simetria é muito difícil de ser conseguida, principalmente se as mamas já eram diferentes. O que se atinge são aspectos bem semelhantes com , talvez, mínimas assimetrias imperceptíveis aos olhos dos outros.

A cirurgia para levantamento das mamas (mastopexia) difere da mamoplastia redutora, pois não há diminuição da glândula mamária. O cirurgião pode até se valer da ressecção de segmentos da mama não para reduzi-la, mas para facilitar sua modelagem e corrigir algumas imperfeições.

A mamoplastia de aumento é realizada pela inclusão de implante mamário de silicone que pode ser colocado sob a glândula ou sob o músculo peitoral. As cicatrizes possuem por volta de 4 cm e são posicionadas no sulco infra mamário (aquela dobrinha abaixo da mama), ao redor da metade inferior da aréola ou, ainda, na axila.

Cabe lembrar que a inclusão de implante não resolve o problema de flacidez e sobra de pele a não ser que seja de mínima monta. Caso contrário, a simples colocação da prótese levará a uma mama grande, mas caída. Para tais casos, pode-se posicionar o implante e ressecar o excesso de pele dando nova modelagem ao órgão, com resultados bastante satisfatórios.

Os tipos de anestesia podem ser geral, peridural ou local com sedação.

Na consulta médica, o Dr. Eduardo analisa cuidadosamente cada caso para, junto com a paciente, escolher a melhor opção de tratamento, sempre buscando o melhor resultado possível.

TOP